sexta-feira, 22 de julho de 2011

Grandes nomes da literatura mundial

Hey gente,
Eu NAO morri rsrsrs
Estava num periodo de hibernação e desinclusão social rsrs
Mas eu NAO morri kkkkkkk
Precisava apenas de um tempo... Me... Reviver kkkkkkkk (Eu não tinha "não morrido"??? rsrsrs)
Brincadeira gente kkkkkkkk

Voltei, não digo q a toda, mas eu voltei \o/
E para começar, uma materia com dupla finalidade: Uma é mais uma coluna da Evelyn \o/ que eu adorooo, sobre os grandes nomes da nossa literatura. E segundo, uma homenagem a grande escritora, que deu origem ao nosso amado Harry Potter, que infelismente, acabou :'(
E eu VI o filme, e choreei demaais. Logo farei um post sobre, prometooo *-*
E farei tbm uma homenagem a todos os livros/filmes, desde o primeiro \o/

Agora, vamos saber um pouco mais sobre essa escritora maravilhosa, que marcou nossa geração, e que deu luz as nossas vidas...

Grandes Nomes – J. K. Rowling 





Claro, não poderia faltar a minha grande admiração. Essa mulher é demais! Escrever sete livros que foram traduzidos para mais de 60 linguas não é pra qualquer um.

Joanne Kathleen Rowling nasceu em Yate, no dia 31 de julho de 1965. A escritora britanica sempre gostou de ler contos como O vento nos salgueiros e O cavalinho branco e a apartir daí sua vontade de crescer só aumentou. J.K. costumava escrever em bares, com sua filha primogenita ao lado enfrentando dificuldades até conseguir reconhecimento, riqueza e fama.

Os pais (Anne e Peter) de J.K. se conheceram na estação de trem King´s Cross, mesmo nome que foi utilizada pela autora na série Harry Potter. Ambos serviam à Marinha e quando Anne ficou grávida de seu primeiro, conseguiu uma vaga de aprendiz em uma fábrica de carros que mais tarde ficaria conhecida por fabricar o Roll´s Royce. J.K. tem ainda mais uma irmã, Dianne. Em 1971, a pequena Joanne escreve seu primeiro livro: Rabbit, a história de um coelho chamado Rabbit, que pega sarampo e é visitado pela Miss Bee (Srta. Abelha), e foi nessa época que Joanne se matriculou em sua primeira escola, a St. Michael's Curch of England, perto de sua casa. Era um local agradável, uma escola à moda antiga da qual Joanne gostava muito. Os anos se passaram e Joanne estava decidida quanto ao seu curso na faculdade: queria fazer Inglês. Ela disse que estudou francês, o que foi um erro, ao ter subido à um desejo dos pais. Depois de uma viagem fracassada, voltando à Londres, o trem onde estava quebrou e J.K. utilizou deste tempo para dar inicio a uma das maiores sagas literárias. Contratada para dar aulas de inglês em Portugal, no Encounter English, Joanne partiu da Inglaterra para a cidade do Porto, onde foi instalada num apartamento junto com duas outras professoras: Jill Preweet e Aine Kiely, mulheres a quem foi dedicado o terceiro livro, Harry Potter e o Prisioneiro de Azkaban. Aos sábados as três iam divertir-se na discoteca Swing.[16] Harry Potter não foi esquecido, e os rascunhos voaram junto com Joanne para o Porto. Mas aconteceu de Joanne se deparar com um estudante português num bar, que lhe interessou, assim como ela a ele.

Não demorou muito e os dois passaram a viver juntos, e Joanne ficou grávida, sofrendo um aborto espontâneo logo depois. Jorge pediu Joanne em casamento em agosto de 1992, mas o relacionamento tempestuoso, pontuado por brigas, fez com que o casamento perdesse o encanto, e Joanne ficou grávida novamente, enquanto Jorge mostrava-se cada vez mais ciumento e possessivo.[9]

O bebê nasceu em 27 de Julho de 1993, e Joanne diz que foi a melhor coisa que já lhe aconteceu, mas o casal ainda brigava muito, e o ápice se deu quando Jorge a arrastou para fora de casa. Joanne conseguiu resgatar o bebê e não demorou a ir embora, deixando Porto para trás. Joanne voltou ao Reino Unido. O pai casara-se novamente, mas seu destino foi o lar da recém-casada irmã, em Edimburgo. Não ficou muito tempo lá, já que não queria ser um peso para a irmã.

E a pobreza tomou conta dela, e junto com a falta de dinheiro veio a falta de esperança, e Joanne caiu nas garras da depressão.[9]

Ela e a filha mudaram-se para um pequeno prédio em Leith, um bairro da capital escocesa, onde vivia com a ajuda do governo, mas sentindo-se humilhada por estar neste estado. Conseguiu, através da lei, manter Jorge longe dela e da filha. Sean Harris ainda mantinha contato com Joanne, e lhe emprestou algum dinheiro.

Chega-se agora à parte mais conhecida de sua história: Joanne Rowling passeava com a filha no carrinho, e quando a menininha dormia, ela ia até o Nicolson's, um bar que pertencia ao cunhado de Joanne, ou ao bar The Elephant House Café. Lá ela pedia um café e escrevia as histórias de Harry Potter até que a filha acordasse. A história de que não tinha aquecimento em sua casa e ia aos bares se aquecer é absurda. Não tinha computador, apenas uma velha máquina de escrever, onde datilografava as anotações. Além do Nicolson's, Joanne gostava de freqüentar o The Elephant House Café também.

Entre fins de 1994 e meados de 1995, ela conseguiu um emprego como secretária, foi aceita no curso para conseguir o registro que a habilitava a dar aulas e divorciou-se. Joanne Rowling estava preparando-se para as outras boas notícias que viriam a seguir. Joanne tinha dois nomes de agentes literários. O primeiro devolveu os originais do livro muito rapidamente, e o segundo faria o mesmo se a mão de Briony Evens, funcionária de Christopher Little, não tivesse resgatado o manuscrito da caixa de devolução. Briony pediu autorização do chefe para tentar publicar o livro, e então escreveu a Joanne pedindo-lhe o restante do livro. Muitíssimo feliz, Joanne enviou-lhe o restante.

Depois de muitas recusas de outras várias editoras (o número é incerto, e já variou de 8 a 12 editoras), os originais foram parar na Editora Bloomsbury, nas mãos de Barry Cunningham, à época coordenador da recém-criada, e não tão prestigiada, divisão de livros infantis, que decidiu publicar o livro. Aparentemente, essa decisão também foi influenciada por Alice Newton, filha do diretor-executivo da Bloomsbury, que gostou do livro. Na divisão infantil trabalhavam Rosamund de la Hey e Sarah Odedina, que ajudaram Rowling e tornaram-se suas amigas. Barry não trabalha mais na Bloomsbury. Seu lugar foi ocupado por Emma Matthewson.

Christopher Little então pediu que Joanne assinasse com suas iniciais. Nesta ocasião, Joanne Rowling agregou, como nome do meio, o nome da avó, Kathleen, originando a famosa assinatura J.K.Rowling. Logo de início o livro esteve entre os mais vendidos. Com o dinheiro que ganhou pelos direitos no início, Joanne comprou um apartamento mais espaçoso num lugar mais seguro para ela e a filha viverem, no número 19 de Hazelbank Terrace, em Edimburgo. J.K.Rowling, quando mudou-se dessa casa, deu-a de presente a uma mãe solteira da vizinhança, de quem se tornara amiga.

No ano seguinte, num leilão dos direitos do livro, Arthur Levine, da editora Scholastic Inc., ganhou-os pelo valor de 105 mil dólares. Nos Estados Unidos o livro teve o nome mudado de Philosopher's Stone para Sorcerer's Stone, fato que Joanne diz que teria lutado contra se na época estivesse em uma melhor condição. Ainda assim, J.K. é extremamente grata a Arthur Levine.

O sucesso do primeiro livro abriu as portas para o segundo, e desde então os olhos voltavam-se sempre para o lançamento do livro seguinte.

A revelação do nome do sétimo livro, em 21 de Dezembro de 2006, foi o prenúncio de que a série chegava de fato ao fim. Em fevereiro de 2007 apareceram as notícias sobre a assinatura que J.K.Rowling havia deixado em um busto no Hotel Balmoral, em Edimburgo, anunciando que num quarto daquele hotel ela havia terminado o livro Harry Potter e as Relíquias da Morte. Durante um ano enquanto finalizava o livro, ela permitiu que a filmassem para um documentário, que foi ao ar pela primeira vez em 30 de Dezembro de 2007. Esse documentário, chamado Um ano na vida de J.K.Rowling, ou no original J K Rowling… A Year In The Life, mostra diversos aspectos até então desconhecidos da autora. É possível ter vislumbres de sua mansão na Escócia, e ver J.K.Rowling reduzida a lágrimas ao retornar para o apartamento no bairro de Leith onde finalizara o primeiro livro da série, que completou uma década desde sua publicação.

J.K.Rowling conheceu o médico anestesista Neil Michael Murray na casa de um amigo comum, e os dois apaixonaram-se. Ele era recém-separado e ela, apesar da filha, tivera muitos problemas em seu casamento. Mesmo assim, os dois se casaram no dia 26 de Dezembro de 2001. Pete e Dianne Rowling estavam lá.

O casamento aconteceu na luxuosa propriedade do século XIX, Killiechassie House, em Perth and Kinross, Escócia, comprada pela escritora em 2001. Rowling também comprou uma casa em Merchiston, Edimburgo, e uma casa em estilo georgiano em Londres.

Com Neil, Joanne teve dois filhos: David Gordon Rowling Murray, nascido em março de 2003 e Mackenzie Jean Rowling Murray, nascida em janeiro de 2005. Harry Potter e a Ordem da Fênix foi dedicado a Neil, Jessica e David, e Harry Potter e o Enigma do Príncipe, a Mackenzie.
J.K.Rowling também tem dois cachorros, um Jack Russell terrier e mais recentemente ela adotou uma cadela de um canil (o Greyhound Rescue Fife) para onde também doou cerca de mil libras. 

submarino livros harry potter 300x268 Submarino Livros Harry Potter

XOXO


2 comentários:

  1. Devo muito à J.K.Rowling, ela é símbolo de determinação! Por mais que estivesse na pior, persistiu , acreditou em sim mesma e vejam o resultado! Graças à ela, eu e todos os outros fãs temos a mágica de HP em nossas vidas *-* J.K, divaa \o

    ResponderExcluir
  2. J.K Divaa²
    Ela é uma pessoa pra se inspirar por q ela passou por cada coisa, mas persistiou, e no final venceu

    ResponderExcluir