segunda-feira, 11 de abril de 2011

Senhora

Povinho meu do Coração,

Eu tava para postar essa resenha a um booom tempo. Mas, eu acabava esquecendo kkkkkkkk ou ficando cansada demais para fazer. No fim, até hoje nao tinha postado. Mas hoje aconteceu uma coisa q me fez lembrar o passado. Um passado bem remoto kkkkkkkkkkk (para falar a verdade, eu divido em dois meu passado kkkkkkkkkk de 2008 ao primeiro semestre de 2009... E do Ultimo semestre de 2009 a 2010).
E nesse primeiro passado, a história que era top era "Senhora" do Alencar.
Eu sei que a maioria das pessoas tem um certo preconceito pela nossa literatura, oq eu considero super, mega, big errado, pois nossa literatura é demais (acho q só perde para a Inglesa, e olhe lá). Mas, esse livro é realmente maravilhoso. Antes da Suze, esse era o livro q mais tinha lido na vida kkkkkkkkk acho q li mais de 8 vezes.

Nao vou colocar sinopse, pq o brasileiro tem o mau habito de revelar o final dos clássicos. E se vcs forem procurar, vão acabar lendo e perdendo a graça do livro. Então, não façam. Leiam o livro q é maravilhosoo.

Eu vou dar uma palhinha eu mesma sobre ele.

Aurélia era uma moça rica, de 18 anos, q "comprou" seu marido, Seixas. Este, era seu noivo, quando ela ainda era pobre, mas a trocou por um dote de 30 contos de réis. A historia relata os casamentos arranjados por dinheiro, tão comum a época. 




Tipo, chego a pecar contra Alencar ao escrever isso kkkkkkkk mas, é melhor uma sinopse mau feita, q uma sinopse estraga prazer kkkkkkkkkkk
A historia vai muuuito além disso. É maravilhosaaaaaaa.

Eu ganhei esse livro ai, o da capa, de presente da Thay de niver ano passado (Brigada Thay *-*)

O Alencar, ao iniciar o livro, diz que a história não é de sua autoria, e sim, um relato de uma história real. Vejam a introdução do livro:


Ao Leitor

Este livro, como os dois que o precederam, não são da própria lavra do escritor, a quem geralmente
os atribuem.
A história é verdadeira; e a narração vem de pessoa que recebeu diretamente, e em circunstâncias
que ignoro, a confidência dos principais atores deste drama curioso.
O suposto autor não passa rigorosamente de editor. É certo que tomando a si o encargo de corrigir a
forma e dar-lhe um lavor literário, de algum modo apropria-se não a obra mas o livro.
Em todo o caso, encontram-se muitas vezes nestas páginas, exuberâncias de linguagem e afoutezas
de imaginação, a que já não se lança a pena sóbria e refletida do escritor sem ilusões e sem
entusiasmos.
Tive tentações de apagar alguns desses quadros mais plásticos ou pelo menos de sombrear as
tintas vivas e cintilantes.
Mas devia eu sacrificar a alguns cabelos grisalhos esses caprichos artísticos de estilo, que talvez
sejam para os finos cultores da estética, o mais delicado matiz do livro?
E será unicamente fantasia de colorista e adorno de forma, o relevo daquelas cenas, ou antes de
tudo serve de contraste ao fino quilate de um caráter?
Há efetivamente um heroísmo de virtude na altivez dessa mulher, que resiste a todas as seduções,
aos impulsos da própria paixão, como ao arrebatamento dos sentidos.

J. de AL.


Obviamente, isso é o "floreamento" dado pelos escritores românticos, para dar a impressão ao leitor q a historia realmente aconteceu. Mas, não custa ter a esperança de q seja de verdade não acham? Eu mesmo gosto de imaginar que uma mulher como a Aurélia pode ter existido.
Ela é meu exemplo de vida. Ela é um exemplo para todas nós.
Ela é forte, decidida, determinada. Vai atrás do que quer, sem medo. Ela se sacrificou. Nossa, a primeira vez q eu li eu me encantei por ela. Não sei se seria capaz de ter a força q ela tinha. Sinceramente, se é para defini-la em uma palavra, essa palavra seria: Exemplo.
É aquele personagem que... Que te guia...
alguém ja encontrou um personagem assim?

O livro é dividido em 4 partes: O Preço, Quitação, Posse e Resgate.
Minha parte parte preferida é a Posse. É hiláriaaaaaaaaa.
As picuinhas entre a Aurelia e o Fernando. É aquela coisa gato e rato, muito louca kkkkkkkkkk #adoroooo

Mas eu gosto tbm de várias cenas de Resgate. Para falar a verdade, minha cena preferida é desse trecho. Sendo assim, uma parte num todo é a Posse. Mas, por cenas, eu definiria Resgate como preferida.

Amanhã eu faço um post unico para a cena *-*. Tá tarde e eu tenho de ir mimir kkkkkkk

Mas, para vocês, deixo a mensagem: Nao desprezem as obras nacionais.
Leia, todos que puder, porque temos autores muitos bons por ai (e quem sabe, um dia, eu nao serei um deles ãhn?)

Bye XoXo Bye

2 comentários:

  1. Adoro esse livro *-*
    Toda vez que o vejo, lembro de você Pam!
    Acho a Aurélia , uma personagem muito forte e inspiradora (em certos aspectos, rs)
    Aliás, José de Alencar, retratou em muitas de suas obras, mulheres fortes e à frente de seu tempo \o

    ResponderExcluir
  2. Ahhh siiim,
    O Alencar só teve personagens fortes e inspiradoras *-*
    Eu adoro a Aurélia, em todos os pontos, sem excessão S2

    ResponderExcluir