terça-feira, 5 de abril de 2011

Revoltaaaaa

Povinho meu,

Eu estou revoltada, revoltada, revoltada.... não, revoltada é poucooo, preciso pegar o pescocinho de alguém para torcer :@:@:@:@

E é exatamente sobre isso que quero falar... Pescocinhos :@. Não, nao precisa se assustar kkkkkkk oq eu quero dizer é que eu vou falar de vampiros, mais especificamente Crepúsculo.

Todos vocês sabem que eu nao sou louca apaixonada por essa historia como 90% da população o é. Mas, também nao tenho nada contra. Pelo contrário, li todos os livros, e acredito que a história até tenha um certo charme. Mas, a midia está estrapolandooo demaaais.
Eu andei vendo umas materias que fizeram meu sangue ferver, e sabem pq? porque estão tratando Crepúsculo como o pioneiro na historia dos Chick Lit Fantasy. E para pioraaaar, siim, eu nao ligaria se eles nao tivessem feito ISSO. Para piorar, eles teeeem de citar A Mediadora. E sabe como? com definições como "Genérico de Crepúsculo" ou falando coisas de Crepusculo como: "inspiração para outras obras sobrenaturais  como A Mediadora".

Nossa, meu sangue ferveeeeu. Como pode???? heiiiin? como pode????? Todos nós sabemos que A Mediadora foi lançada em 2000 enquanto Crepúsculo é de 2005... 2000 e 5... 5...
O que deixa beeeem claro, que se houve uma cópia, ou um genérico aqui, é todo o resto.

Não digo que A Mediadora seja o pioneiro, porque eu acredito que nao seja. Mas é fato que de todas essas modinhas atuais, ela veio em primeiro. E que foi lançado antes de qualqueeeeer ligação a moda "Amor Sobrenatural".

Mano, eu to revoltada demaaais. Vejam, trechinhos de matérias que eu achei, só para sentirem a raiva que tbm to sentindo:

"Crepúsculo é inspiração para outras sagas sobrenaturais
A mórmon americana Stephenie Meyer não só saiu do anonimato para se transformar numa das autoras mais populares da atualidade, como também é a mais imitada entre os que se propõem a escrever para adolescentes. Porque depois do lançamento da série Crepúsculo, que vendeu mais de cem milhões de cópias e foi publicada em 50 países desde 2005, o que mais se vê por aí são novas sagas sobrenaturais juvenis. Algumas igualmente empolgantes e bemboladas, outras nem tanto.
[...]
Fantasmas, como em A Mediadora, de Meg Cabbot; e anjos caídos, a exemplo da saga sensual Hush Hush, de Becca Fitzpatrick. Entre as boas novidades do gênero estão as séries The House of Night, de Kristin Cast e C.P. Cast (mãe e filha); e Noite Eterna, de Claudia Gray, pseudônimo de Amy Vncent. Na primeira saga, divida em nove títulos e em breve vertida para o cinema, os vampiros convivem tranquilamente com mortais."

"Vampiros em Alta
Alguns ‘Crepúsculos’ genéricos que você encontra por aí

>>>“Marcada”, de P.C. Cast e Kristin Cast
Editora Novo Século
Primeiro livro, lançado em 2007, da série “The House of Night”. Escrito por mãe e filha, já contabiliza sete volumes (o último sai agora em abril nos EUA). Mais uma história vampiresca com núcleo romântico.
>>>“Os Primeiros Dias”, de Scott Westerfield
Editora Galera
Este faz parte da coleção “Vampiros em Nova York”. A história fala de um universitário que tem uma noitada com uma garota e acorda com visão noturna, olfato aguçado e super poderes. Advinhou?
>>>“Crepúsculo”, de Meg Cabot
Editora Record
Sexto e último volume da série “A Mediadora. Pé quente na confecção de best-sellers, nesta coleção a autora conta a história de uma garota que ajuda fantasmas a resolverem suas pendências na Terra."
[...]

Ok, Ok.... Respira fundo Pamela.... Respira fundo...
Mas não é revoltante???? sério, eu sinto como se pudesse matar um :@:@:@:@
Mas, a própria Tia Meg, um exemplo e um modelo de pessoa para nós, simples fãns, nos ajuda a levar um pouco na esportiva. Vejam uma entrevista em que ela fala sobre o tema.

Folha: Você acha que a série “A Mediadora” (2000), em que a protagonista teen se apaixona por um fantasma, influenciou “Crepúsculo” (2005), em que a protagonista teen cai de amores por um vampiro?
>>>Não tenho a mínima idéia. Tudo o que é lançado na cultura pop influencia… me influencia. Ninguém vive num vácuo, né? Eu não fui a primeira pessoa a escrever sobre uma princesa, nem sobre uma garota que se apaixona por um morto. Quando escrevi “A Mediadora”, o livro foi rejeitado porque os editores diziam “nenhuma menina se apaixona por um garoto morto!” Hahahahaha se eles soubessem….

Bem, se a Meg tá levando na boa, quem somos nós para não levar tbm né? afinal, NÒS sabemos a verdade, e isso é tudo que importa... Quando sabemos a verdade, não se liga para a mentira que circula...
Mas, que dá vontade de xingar a pessoa que escreve uma materia dessa, de $%¨#@&$#%, ahhh dáááá...

Aproveitem e vejam o resto da matéria, que é muuito legal:

Bye XoXo Bye

Nenhum comentário:

Postar um comentário