sábado, 12 de março de 2011

Rainer Maria Rilke

Povo meu,

Juro q esta é a ultima postagem do dia kkkkkk mas é q esse blog vicia... eu acho q nem posso mais viver sem ele kkkkkk ele é uma especie de diario, mas muuito melhor, pq tem quem leia kkkk pq, afinal, qual a graça de se escrever num diario, se ninguem vai poder ler? meu objetivo é informaaar

Mas, deixando as especulações de lado, eu vou falar de Rainer Maria Rilke. É o poeta citado pelo Sam em Shivers, e eu fui atrás das obras dele (cês sabem, a curiosidade em mim vive em Up kkkkkk). Vejam, acho q vcs tbm podem se apaixonar por ele.

Biografia
"Rainer Maria Rilke, por vezes também Rainer Maria von Rilke(Praga, 4 de dezembro de 1875 — Valmont, Suíça, 29 de dezembro de1926) foi um dos mais importantes poetas de língua alemã do século XX. Escreveu também poemas em francês.
Rilke possui uma obra original, marcada pelo tratamento da forma e pelas imagens inesperadas. Celebra a união transcendental do mundo e do homem, numa espécie de “espaço cósmico interior”. Sua poesia provocava a reflexão existencialista e instigava os leitores a se defrontarem com questões próprias do desencantamento da primeira metade do século XX. Sua obra foi influenciada pelo Expressionismo e influenciou muitos autores e intelectuais em diversas partes do mundo."


Poemas e Frases

"Amor são duas solidões protegendo-se uma à outra."

"O tempo não é uma medida. Um ano não conta, dez anos não representam nada. Ser artista não significa contar, é crescer como a árvore que não apressa a sua seiva e resiste, serena, aos grandes ventos da primavera, sem temer que o verão possa não vir. O verão há de vir. Mas só vem para aqueles que sabem esperar, tão sossegados como se tivessem na frente a eternidade."
(quase aquilo q falei ontem, abaixo dos poemas da Florbela não?)

Canção de Amor

"Como hei-de segurar a minha alma
para que não toque na tua? Como hei-de
elevá-la acima de ti, até outras coisas?
Ah, como gostaria de levá-la
até um sítio perdido na escuridão
até um lugar estranho e silencioso
que não se agita, quando o teu coração treme.
Pois o que nos toca, a ti e a mim,
isso nos une, como um arco de violino
que de duas cordas solta uma só nota.
A que instrumento estamos atados?
E que violinista nos tem em suas mãos?
Oh, doce canção."


O Poeta

"Já te despedes de mim, Hora.
Teu golpe de asa é o meu açoite.
Só: da boca o que faço agora?
Que faço do dia, da noite?

Sem paz, sem amor, sem teto,
caminho pela vida afora.
Tudo aquilo em que ponho afeto
fica mais rico e me devora."


"Quem, se eu gritasse,
em meio à legião de anjos
me ouviria?"


"Se o cotidiano lhe parece pobre, não o acuse: acuse-se a si próprio de não ser muito poeta para extrair as suas riquezas."

"Nada mais que possibilidades. Nada mais que desejos. E, de repente, ser realização, ser verão, ter sol."

"Ser artista significa: não calcular nem contar; amadurecer como uma árvore que não apressa a sua seiva e permanece confiante durante a tempestade da primavera, sem o temor de que o verão não possa vir depois. Ele vem apesar de tudo."



Citados em Shivers

“Eu estou sozinho no mundo, e ainda não sozinho o bastante para fazê-lo santo. Eu sou solitário neste mundo e ainda não sou solitário o suficiente para ser cruel e perspicaz para você. Eu quero a minha vontade e eu quero ir com minha vontade enquanto me movo para agir. E eu quero, no silêncio, de alguma maneira vacilante às vezes, estar com alguém que saiba, ou caso contrário sozinho. Eu quero refletir tudo sobre você, e eu nunca quero ficar muito cego ou muito velho para manter comigo sua imagem oscilante profunda. Eu quero desdobrar. Eu não quero ser dobrado em qualquer lugar, porque aí, onde eu estou dobrado, eu sou uma mentira."

"E deixar você (não há palavras para desembaraçar isso) 
Sua vida, medroso, imenso e florescimento 
então isso, algumas vezes frustrado, e algumas vezes compreensivo 
Sua vida é algumas vezes uma pedra em você, e então, uma estrela"

Sabe, o mais legal, é q esse ultimo é lido pela Grace, bem no finzinho do livro. E ela diz: "eu estava começando a entender poesia". E, mais uma vez, o livro demonstra a verdade humana: a gente só começa a entender poesia, quando sabe exatamente aquilo q o poeta está passando, por ter sentido tbm...

E outra coisa: notem q Rainer define a satisfação/felicidade como Verão. E a felicidade para o Sam e para Grace é o verão... foi bem inteligente da Maggie colocar ele como o poeta da historia... Mas afinal, ao se ler dá pra ver q tudo foi imensamente calculado rsrsr nao deveria ser uma surpresa isso.

E então, oq me dizem de Rainer?

Bye XoXo Bye

2 comentários:

  1. Já havia ouvido muiito sobre Rilke, e agora pude-o conhecer melhor através do seu post!Gostei demais do estilo dele de escrever, parece tão puro, natural...
    Adorei sobretudo o trecho:
    "Se o cotidiano lhe parece pobre, não o acuse: acuse-se a si próprio de não ser muito poeta para extrair as suas riquezas."
    Grande lição de vida, quem é fã do Rilke levanta a mão \o

    ResponderExcluir
  2. kkkkkkkkkkk Siim, eu adoreeei Rilke *-*
    Ele tem muitas coisas inteligentes em sua obra... Se você procurar, vai se encantar ainda mais :D

    ResponderExcluir