sexta-feira, 11 de março de 2011

Fernando e Florbela

Povinho meu,

Eu to meia sem imaginação rsrsrs tô preocupada, pensativa... e com sono rsrs. Então, apenas algo para vcs passarem o tempo, enquanto a imaginação não chega rsrsrs (algo q eu faço frequentemente rsrsrs)

Fernando Pessoa

Eu Nunca Guardei Rebanhos

Eu nunca guardei rebanhos,
Mas é como se os guardasse.
Minha alma é como um pastor,
Conhece o vento e o sol
E anda pela mão das Estações
A seguir e a olhar.
Toda a paz da Natureza sem gente
Vem sentar-se a meu lado.
Mas eu fico triste como um pôr de sol
Para a nossa imaginação,
Quando esfria no fundo da planície
E se sente a noite entrada
Como uma borboleta pela janela.

Mas a minha tristeza é sossego
Porque é natural e justa
E é o que deve estar na alma
Quando já pensa que existe
E as mãos colhem flores sem ela dar por isso.

Como um ruído de chocalhos
Para além da curva da estrada,
Os meus pensamentos são contentes.
Só tenho pena de saber que eles são contentes,
Porque, se o não soubesse,
Em vez de serem contentes e tristes,
Seriam alegres e contentes.

Pensar incomoda como andar à chuva
Quando o vento cresce e parece que chove mais.

Não tenho ambições nem desejos
Ser poeta não é uma ambição minha
É a minha maneira de estar sozinho.

E se desejo às vezes
Por imaginar, ser cordeirinho
(Ou ser o rebanho todo
Para andar espalhado por toda a encosta
A ser muita cousa feliz ao mesmo tempo),

É só porque sinto o que escrevo ao pôr do sol,
Ou quando uma nuvem passa a mão por cima da luz
E corre um silêncio pela erva fora.

Quando me sento a escrever versos
Ou, passeando pelos caminhos ou pelos atalhos,
Escrevo versos num papel que está no meu pensamento,
Sinto um cajado nas mãos
E vejo um recorte de mim
No cimo dum outeiro,
Olhando para o meu rebanho e vendo as minhas idéias,
Ou olhando para as minhas idéias e vendo o meu rebanho,
E sorrindo vagamente como quem não compreende o que se diz
E quer fingir que compreende.

Saúdo todos os que me lerem,
Tirando-lhes o chapéu largo
Quando me vêem à minha porta
Mal a diligência levanta no cimo do outeiro.
Saúdo-os e desejo-lhes sol,
E chuva, quando a chuva é precisa,
E que as suas casas tenham
Ao pé duma janela aberta
Uma cadeira predileta
Onde se sentem, lendo os meus versos.
E ao lerem os meus versos pensem
Que sou qualquer cousa natural —
Por exemplo, a árvore antiga
À sombra da qual quando crianças
Se sentavam com um baque, cansados de brincar,
E limpavam o suor da testa quente
Com a manga do bibe riscado.

Sou um Guardador de Rebanhos

Sou um guardador de rebanhos.
O rebanho é os meus pensamentos
E os meus pensamentos são todos sensações.
Penso com os olhos e com os ouvidos
E com as mãos e os pés
E com o nariz e a boca.

Pensar uma flor é vê-la e cheirá-la
E comer um fruto é saber-lhe o sentido.

Por isso quando num dia de calor
Me sinto triste de gozá-lo tanto.
E me deito ao comprido na erva,
E fecho os olhos quentes,

Sinto todo o meu corpo deitado na realidade,
Sei a verdade e sou feliz. 

>>> Pessoa, como sempre, passou para o papel tudo aquilo que se passa em minha mente. É assim com vocês também? cada vez que leio uma poesia sua, uma introdução, uma frase... qualquer coisa, eu consigo me encontrar inteiramente. Não sei ainda se é o meu pensamento q se adequa a Pessoa, ou se sou eu que penso inteiramente como ele. Tudo oq sei é q ele nao escreveu conhecendo o meu pensamento. Por isso, se trata de mim, e unicamente de mim, saber qual a minha linha de raciocinio para comigo... e para com ele...
----> Leiam: "O guardador de rebanhos" neste fim de verão, para manter a mente aberta (ou abrir, nao sei qual é o caso seu) e nao deixar as coisas simples passarem desapercebidas, como tenho certeza q vc tem deixado passar junto com o seu verão, q anda fluindo mesmo q vc nao perceba, rumando iminentemente para o fim, e a entrada do outono... e logo inverno...

Florbela Spanca

Fanatismo 

Minhálma, de sonhar-te, anda perdida
Meus olhos andam cegos de te ver!
Não és se quer razão do meu viver,
Pois que tu és já toda a minha vida!

Não vejo nada assim enlouquecida...
Passo no mundo, meu amor, a ler
No misterioso livro do teu ser
A mesma história tantas vezes lida!

"Tudo no mundo é frágil, tudo passa..."
Quando me dizem isto, toda a graça
Duma boca divina fala em mim!

E, olhos postos em ti, digo de rastros:
"Ah! Podem voar mundos, morrer astros,
Que tu és como Deus: Princípio do Fim!..."

Sei lá...

Sei lá! Sei lá! Eu sei lá bem
Quem sou? um fogo-fátuo, uma miragem...
Sou um reflexo...um canto de paisagem
Ou apenas cenário! Um vaivém

Como a sorte: hoje aqui, depois além!
Sei lá quem sou?Sei lá! Sou a roupagem
De um doido que partiu numa romagem
E nunca mais voltou! Eu sei lá quem!...

Sou um verme que um dia quis ser astro...
Uma estátua truncada de alabastro...
Uma chaga sangrenta do Senhor...

Sei lá quem sou?! Sei lá! Cumprindo os fados,
Num mundo de maldades e pecados,
Sou mais um mau, sou mais um pecador...

Amar!

Eu quero amar, amar perdidamente!
Amar só por amar: Aqui...além...
Mais Este e Aquele, o Outro e toda a gente
Amar!Amar!E não amar ninguém!

Recordar?Esquecer?Indiferente!...
Prender ou desprender?É mal?É bem?
Quem disser que se pode amar alguém
Durante a vida inteira é porque mente!

Há uma Primavera em cada vida:
É preciso cantá-la assim florida,
Pois se Deus nos deu voz, foi pra cantar!

E se um dia hei-de ser pó,cinza e nada
Que seja a minha noite uma alvorada,
Que me saiba perder... pra me encontrar...

"O meu mundo não é como o dos outros, quero demais, exijo demais; há em mim uma sede de infinito, uma angústia constante que eu nem mesma compreendo, pois estou longe de ser uma pessoa; sou antes uma exaltada, com uma alma intensa, violenta, atormentada, uma alma que não se sente bem onde está, que tem saudade… sei lá de quê!"

>>> O inicio, o começo e o fim de meus pensamentos... em 3 poemas distintos, sem a menor ligação, e ainda assim... resumindo minha vida... 3 momentos... 3 fases... 3 obstaculos... todos superados... ou talvez, nenhum realmente superado, apenas deixado para trás, como deixamos os minutos...
Você já se perguntou porque dizemos q as horas passam, se elas correm, dia após dia da mesma maneira? não são as horas q passam, e sim, nosso contexto de tempo... por isso q nao temos como voltar nele. Uma vez o pensamento pensado, expresso, manifestado na mente, ele nao volta... é assim com o consenso de tempo...
E por fim, uma frase, q nao se encaixa em um momento. Se encaixa na minha vida, seja ontem, hoje... ou amanhã...
---->Leiam: "Livro de Mágoas" em qualquer momento. É facil se encontrar... mas é muito mais dificil se perder... E Florbela relata cada minuto q você deixa de pensar.... por estar exatamente pensando...


Bye XoXo Bye

--------------------------------------------------
Ahhh pessoal, coisa rápida q esqueci de comentar rs Acho q é pq fiquei com tanta, mas tanta raiva aquele dia q meus pensamentos foram travados kkkkkk (vcs sabem, aquela amnésia sobre aquilo q me afeta rsrs).
A Gaviões perdeu :(  ficamos em quinto lugar esse ano ( e eu fiquei sem voz de tanto gritar na sala kkkkkkkk). Mas tem problema naaao.... ano q vem é nosso kkkkkkkkk A fé é a ultima q morre (vejam, o Barrichelo é um exemplo vivo disso kkkkkkkk hj mesmo ele conseguiu o quinto melhor tempo kkkkkkk Mas ganhar.... tsc tsc tsc kkkkkkkkkkkkkkk)

Nenhum comentário:

Postar um comentário