terça-feira, 15 de fevereiro de 2011

Coluna: O Amor

O AMOR – PARTE 2

“Eu nunca pensei muito em como morreria, mas morrer no lugar de alguém que amo seria uma boa forma de partir” foi isso que disse Isabella Swan em suas primeiras palavras. Morrer por amor não implica somente em pais, filho, mães, sobrinhos, avós... Mas também amigos e o mais nobre, por aqueles que não conhecemos.

Soneto
Álvares de Azevedo

Pálida, à luz da lâmpada sombria,
Sobre o leito de flores reclinada,
Como a lua por noite embalsamada,
Entre as nuvens do amor ela dormia!

Era a virgem do mar! Na escuma fria
Pela maré das águas embalada...
- Era um anjo entre nuvens d'alvorada,
Que em sonhos se banhava e se esquecia!

Era mais bela! o seio palpitando...
Negros olhos, as pálpebras abrindo...
Formas nuas no leito resvalando...

Não te rias de mim, meu anjo lindo!
Por ti - as noites eu velei chorando,
Por ti - nos sonhos morrerei sorrindo!



Mil anos atrás um homem morreu por amor à humanidade. Sem questionar, entregou-se. 



Cerca de 20 anos atrás, um ônibus, nos EUA, com estudantes em uma viagem ficou preso em uma enchente. Vários alunos morreram, muitos de salvaram, mas um teve destaque. Esse aluno conseguiu tirar vários colegas do ônibus, mas infelizmente ele não teve a mesma sorte. Ele morreu pelos colegas, sem nem uma restrição. Falar assim depois de tanto tempo de um fato que aconteceu quando eu ainda eu nem era nascida pode parecer fácil, mas é do ser humano, é instinto, independente do momento, da pessoa ou do que quer que seja. 



Reflita e responda: E você? Morreria por quem? 

Nenhum comentário:

Postar um comentário